Itália: Parentalidade do mesmo sexo e certidão de nascimento da criança

Jul 21, 2022

O tribunal constitucional italiano, por ordem n. 10844, a 4 de Abril de 2022, considerou legítima a recusa do oficial do estado civil em registar e/ou reconhecer pais do mesmo sexo nas certidões de nascimento. Isto confirma a orientação geral da jurisprudência italiana, não deixando espaço para uma nova e menos radical direcção.


1. Contextualização do caso

Em Itália, o acesso a técnicas de procriação medicamente assistida só é permitido em casos de esterilidade e infertilidade e para casais de diferentes sexos, tal como especificado no n.º 1 do artigo 4 e no artigo 5 da lei 40/2004, impedindo o acesso a casais do mesmo sexo.

Duas mulheres, unidas há muito tempo numa relação emocional estável, decidiram utilizar uma das técnicas de procriação medicamente assistida na Dinamarca, (onde a lei permite o acesso a estas técnicas também a casais do mesmo sexo). Quando regressaram a Itália, pediram ao registador que procedesse à indicação da certidão de nascimento de ambas as mães, a que deu à luz e a chamada dadora intencional de óvulos. No entanto, o oficial não aceitou proceder a tal registo.

A recusa de proceder ao registo pelo funcionário competente foi objecto de recurso por parte das mulheres, com base no ex-artigo 95º do Decreto Presidencial nº. 396/2000 (que permite a rectificação de um registo de estado civil ou a oposição a uma recusa do oficial em efectuar uma transcrição) ao Tribunal de Piacenza. No entanto, o Tribunal de Piacenza indeferiu o recurso.

Depois, foi apresentada uma reclamação contra tal decisão ao Tribunal de Recurso de Bolonha, que confirmou a decisão em primeira instância. Nesta altura, as mulheres decidiram prosseguir apelando para o Tribunal de Cassação.

O Tribunal de Cassação rejeitou todas as motivações da apelação, confirmando a decisão dos Tribunais. Além disso, no Tribunal de Cassação recordou o acórdão n.º 6383/2022, que também considerou que não pode ser aceito o pedido das duas mães (uma como a mãe que deu à luz a criança e a outra como doadora de óvulos), uma vez que a lei italiana exclui a utilização de técnicas de procriação medicamente assistida para casais do mesmo sexo (L. n. 40 de 2004, art. 4, parágrafo 3).

2. O assunto no resto do mundo

Mesmo noutros países, a questão relativa ao reconhecimento da mãe e da mãe gestacional pretendidas como pais da criança nascida de práticas de procriação artificial é um tema muito debatido. Só recentemente o estado de Nova Iorque admitiu o reconhecimento de ambos os pais do mesmo sexo na certidão de nascimento, e mesmo a Irlanda e a Assembleia Legislativa da Austrália, em 2016, votaram para permitir a adopção do mesmo sexo. Alguns outros países, em vez disso, têm ainda uma legislação muito mais rigorosa em relação a crianças nascidas através de técnicas de procriação medicamente assistidas de casais do mesmo sexo.

3. A dificuldade de encontrar um equilíbrio entre os interesses

O assunto em questão toca em questões de grande sensibilidade que deixam ao legislador a árdua tarefa de equilibrar os vários interesses em jogo, respeitando a dignidade humana e salvaguardando os interesses da criança (por nascer). O princípio do “interesse superior da criança” deve ser tomado como uma referência para qualquer decisão em que estejam envolvidos menores.

Article written by Giusy Profetto

  • Entre em contato

    Para solicitar uma avaliação preliminar ou para marcar uma consulta via vídeo conferência com um de nossos consultores, forneça seus dados de contato e entraremos em contato nas próximas 24 horas (úteis).

    Preencha o formulário →
  • MAZZESCHI S.r.l. - C.F e P.IVA 01200160529 - Cap.Soc. 10.000 € I.V. - Reg. Imp. Siena 01200160529 - REA SI-128403 - Privacy Notice - Cookies Policy
    Copyright © 2019 by Mazzeschi - Web Designer Alessio Piazzini Creazione siti web Firenze
  • Mazzeschi S.r.l. | Operazione/Progetto finanziato nel quadro del POR FESR Toscana 2014-2020
    Il progetto ITACA (ITaly Attract ChinA) è un investimento nei paesi/mercati a lingua cinese, in particolare Taiwan con l’obiettivo di accrescere le quote di mercato dell'azienda. Tramite ITACA la Mazzeschi Srl ha aperto un ufficio a Taiwan con assunzione di personale di lingua cinese, creato un sito internet in lingua cinese e partecipato a fiere e varie attività di promozione a Taiwan.

    Mazzeschi S.r.l. | Project co-financed under Tuscany POR FESR 2014-2020
    The ITACA project (ITaly Attract ChinA) is a fund to invest in Chinese-speaking countries/markets, in particular Taiwan with the aim of increasing the company's market shares. With the help of ITACA project, Mazzeschi Srl has opened an office in Taiwan and has hired a Chinese-speaking staff, created a Chinese website and participated in fairs and various promotional activities in Taiwan.